Padre Domingos revela quais os desafios que enfrentou para ganhar a eleição

Matões do Norte: Domingos Costa Correa, é natural de Itapecuru – Mirim, nasceu em 20/12/1966, tem 49 anos e é filiado ao PSB. Foi eleito Prefeito de Matões do Norte pela Coligação Unidos Por Matões do Norte (PTN, PRTB, PHS, PSB, PTC e PEN), onde obteve 2.832 votos equivalente a 53.60% dos votos válidos contra seu adversário.

Em uma entrevista exclusiva concedida ao Me Informo, o padre que se tornou político, fala sobre sua relação com a cidade de Matões do Norte, o cenário político estadual, as relações com o governador Flávio Dino, a busca por investimentos na cidade, entre outros temas. Veja sua entrevista na integra.

  • Como surgiu o desejo de ser candidato a prefeito?

Padre Domingos: o desejo surgiu da seguinte forma, no final do ano passado houve um movimento político do meu adversário, e depois no início do ano, ele foi lançado candidato pelo prefeito atual, e esse lançamento dava-se como candidato único do município, coisa que não se ver em lugar nenhum.  A eleição, já era dada por ele e por seus aliados certa, como única vitória, assim já falada em toda região.

A população de Matões do Norte, começou a conversar e a se questionar e alguns me abordaram sobre essa situação, se eu queria ser ou não candidato, até que me chamaram, para que eu pudesse aceitar, na ocasião foi feita uma carta, onde descrevia o grito, o clamor da comunidade de todo o município de Matões do Norte, onde, mais de 50 comunidades reuniram-se e redigiram uma carta, nesta carta eles pediram durante um evento da igreja católica, onde tinha representantes de todas as comunidades, para que eu aceitasse ser candidato, e a carta foi assinada tanto pelos representantes das comunidades, como a população de modo geral.

O pedido feito através de carta foi muito forte, em forma de abaixo assinado, eu fiquei pensativo, porque a gente não ver em um período como hoje, momento crítico da política, essas coisas, a gente não ouvi falar dessas situações, pelo contrário se ouvi falar de abaixo assinado para tirar políticos, e não pra chamar pra ser o ser um representante.

  • Você já tinha planos de deixar a batina para ser um político? O que lhe motivou a tomar essa decisão?

Eu comecei a pensar direito, conversando com um e com outro, até que procurei o bispo Dom Sebastião, que é o bispo da Diocese de Coroatá, a qual pertenço, e coloquei a seguinte situação sobre a minha possibilidade de disputar uma eleição, ele me pediu cautela, e eu continuei nessa cautela, mais daí, as pessoas queriam uma resposta.

Voltei a Coroatá novamente, e disse que eu ia aceitar esse desafio. De  forma que, no dia 30 de maio, eu já celebrava a última missa na igreja, já era a de despedida, disse para as pessoas que eu estava tirando licença, não deixando a igreja, mais tirando licença pra disputar um pleito político, para ganhar a eleição, porque as comunidades estavam me pedindo, e assim se fez, depois eu fui fazendo tudo conforme a lei, entramos e disputamos a eleição e conseguimos a vitória.

  • O peso da responsabilidade de ser prefeito não lhe assusta?

Assusta e muito, eu vejo a responsabilidade e o peso que é muito grande. Hoje por exemplo, acordei cedo e já tinha bastante gente na minha casa para eu atender. O povo quer um prefeito próximo, eu acredito que aqui foi o ponto principal, convivo nesta cidade há 11 anos com esse povo, conheço as dificuldades, através dos bate papos, vendo as coisas e ouvindo os clamores. Graças a Deus eu não estou arrependido e sinto que o peso é muito grande, a gente tem que ouvir e dar uma resposta, e as pessoas precisam sair daqui com uma resposta e não chateadas, mas tranquilas em dizer que conversou com o prefeito e foi bem atendida, naquilo que foi atrás ou se não, mas ele me deu uma resposta, me tranquilizou de alguma forma, então eu sinto que o peso é muito grande, eu tenho que está sempre preparado para não desapontar quem me procurou para ser seu representante.

  • Você foi eleito, entretanto conseguiu eleger apenas um vereador, será difícil manter sustentação na Câmara Municipal ou essa questão está equacionada?

Está quase equacionada, posso até dizer que estar equacionada, nós elegemos apenas um vereador, mas estamos conversando com outros vereadores, porque todos os vereadores querem o bem de Matões do Norte, vamos fazer um governo de parcerias, sem desavenças e brigas entre prefeitos e vereadores, nós queremos trabalhar juntos pelo município e em prol do povo Norte Matoense. O meu interesse é que os vereadores estejam juntos pelo município, para isso estamos conversando para que haja esse consenso de pensamento e estaremos todos na mesma mesa, trabalhando em conjunto,  repito, em prol  do sentimento do que precisa o nosso povo, é assim que vamos trabalhar.

  • Você está em um partido da base do governo, já existe alguma parceria entre governo municipal e governo estadual?

Sim, já existe diversas parcerias para serem implementadas a partir do nosso primeiro ano de governo, estive reunido com o Secretários Chefe da Casa Civil, Dr. Marcelo Tavares em busca de benefícios para Matões do Norte, já tive audiência com o Secretário de Estado da Educação Dr. Felipe Camarão, com a Diretoria da CAEMA, já estamos vendo a celebração do convênio para as festividades do Carnaval de 2017, com a Secretaria de Estado da Cultura. Também já estive com o Governador Flávio Dino, em um encontro do meu partido, o PSB, onde tratei da questão de estruturar o Centro Avançado de Saúde, em Hospital Municipal, sei que o governador está sensível e vai nos ajudar.

  • Sobre o abastecimento de água, que é um grave problema que se arrasta no município, você tem em mente algum projeto para tal problema?

Sim, essa questão está sendo conversada com o governo do estado. A água é um grande gargalo de Matões do Norte, já pedir junto ao governo ações que possa logo resolver, e disse ao governador, acredito governador que nenhum prefeito estará tranquilo carregando água para seu município, que está muito grande em território, como é o caso de Matões do Norte, grande parte está sendo abastecida por carro pipa, não é uma questão tão fácil de se resolver, mais vamos conseguir. Quero construir as barragens  na zona rural para segurar água da chuva para o povo humilde, pra segurar água boa, além de você ter água boa para beber, e para outros fins, você também ,terá água para plantações,  criações de animais, e assim por diante, é só cuidar de uma forma correta, e nós temos uma forma correta de fazer isso, fazendo as barragens em várias comunidades, não precisa ser grandes barragens, mais que der para segurar uma boa quantidade de água para as  necessidades  do nosso povo, até porque os nossos poços artesianos existentes, mas na sua grande maioria é de água salgada, e é por isso que vou resolver essa questão, pois água é vida.

  • Administrar requer prioridades. O que você pretende fazer como prioridade para melhorar a vida do povo Norte Matonhense?

As pesquisas apontam que a maior necessidade do nosso povo, diz respeito a saúde, como já falei, vamos transformar o Centro Avançado de Saúde em Hospital Municipal, isso é a nossa primeira prioridade.

A nossa segunda prioridade é ajudar os agricultores, pois 72 % da nossa população reside na zona rural, vou fazer as barragens, incentivar a agricultura familiar para a geração de renda, nossa cidade não tem indústria, tudo fica mais difícil, o poder público é muito cobrado. Portanto vamos administrar ouvindo as pessoas, dando prioridade.

  • Com relação à população que mora na zona rural, o que você pretende fazer para ajudar essas pessoas a terem uma melhor qualidade de vida?

Levar saúde até elas, através do Programa Saúde da Família, construir as barragens para armazenar água para serem utilizadas o ano inteiro, além de pequenos açudes para criação de peixes.

  • Durante toda a campanha, teve algum momento que você considerou muito marcante?

Sim, (emocionado ele responde) houve, não só um, mais alguns momentos. Se você for ver meu registro de candidatura, você pode verá que está zerado, enquanto que, o meu adversário teve acima de um milhão e meio, onde eles diziam que, o liso não ganhava uma eleição, e o povo decidiu votar no pobre, no humilde.

Desde a inauguração do nosso comitê, foi o ponto, onde eu acreditei que realmente o povo queria uma mudança do município, o povo da zona rural veio pagando passagem, nós não tínhamos estrutura de campanha, mas o povo não arredou o pé, outro ponto importante foi as caminhadas, onde eu fui muito bem recebido nas casas, e no encerramento da nossa campanha fizemos uma caminhada, foi o maior movimento, onde o povo saiu de suas casas, uma multidão de gente foi as ruas, onde tinha gente que dizia que nós não ganhava a eleição, veio a surpresa, fiquei conhecido como  a grande surpresa do maranhão por ter ganhado uma eleição com a ajuda do povo.

  • Faça suas considerações finais, e o que o povo pode esperar de sua administração, deixe uma mensagem de fim de ano?

Eu quero desejar ao povo de Matões do Norte e a região as benção de Deus, para que a nossa administração seja a melhor possível, agradecer ao nosso povo pela votação que obtivemos, por ter acreditado em nossas propostas, a equipe do Blog Me Informo, por esta oportunidade, por está divulgando agora, esse momento marcante na vida dos Nortes Matoenses. Agradeço a Deus, porque a mudança está chegando. Aproveito para pedir ao papai do céu, o Deus da esperança, para nos abençoar, abençoar o povo de modo em geral, e desejo um Feliz Ano Novo! Muito Obrigado!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *