Professores de Cantanhede saem às ruas para reivindicar a manutenção de direitos

Professores da rede pública municipal de Cantanhede, se reuniram na sede da Câmara Municipal de Vereadores na última sexta – feira (17), para discutir a jornada de trabalho e uma pauta de reivindicação.

 

A reunião convocada pelo SINTASPUMC, foi uma forma que a categoria encontrou para ouvir as autoridades e também serem ouvidas. A solicitação da reunião foi realizada através de ofício ao excelentíssimo senhor prefeito municipal, Marcos Antonio (Ruivo) e a secretaria de educação, Lília Santos.

O prefeito não compareceu e nem justificou ausência, já a secretaria de educação que também não compareceu, enviou ofício meia hora antes do início da reunião, justificando a sua ausência na reunião do SINTASPUMC.

Participaram da reunião, a presidente do SINTASPUMC, Ieda Alves, diretoria em geral, professores, pais de alunos, os vereadores, Emerson Costa,  Rosa Uchôa, Ribamar Lopes e Peroba.

Sem a presença dos representantes do poder executivo, a categoria dos professores, resolveram sair pelas ruas e avenidas de Cantanhede, fazendo pausa na sede da Secretaria de Educação, no Centro Administrativo, sede do Poder Executivo Municipal e na sede da Promotoria de Justiça, com a finalidade de chamar atenção para os absurdos cometidos com a categoria. Em forma de protesto pacífico, os profissionais da educação ficaram de costas nos Órgãos em questão, para manifestar tamanha indignação.

Veja a pauta de reivindicação apresentada:

Direito do aluno a ter 200 dias letivos e 800 horas aulas anuais;

A falta de planejamento para o ano letivo;

A falta de explicações a respeito das reformas das escola Professor José de Melo e Silva, Leda Tajra, Isabel de Sousa e Sarney Costa, que só atrapalhou o início das aulas;

Contra o projeto de lei, que estão criando para o professor ser obrigado a trabalhar 60 minutos, hora aula.

Contra a demora, por não implantar o que a lei federal 11.738/2008, que garante um terço da jornada de trabalho para o horário pedagógico dos professores.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *