Santa Rita: veja artigo que retrata a história de São Benedito da casa do forno

Por Dam Castro

Um dos Santos de maior identificação com as comunidades da capital da farinha – Santa Rita, sem dúvidas é São Benedito da Casa do Forno. O Santo auxiliador dos pobres, é cultuado por seus devotos que inicialmente faziam parte da classe menos favorecida. No período colonial quando surgiu a primeira imagem do Santo, escravos , que se identificavam com a entidade, faziam suas orações e rezas em favor do Santo Negro.

A HISTÓRIA DO SANTO NEGRO

São Benedito nasceu perto de Messina, na ilha da Sicília, Itália, no ano de 1526. Benedito significa abençoado. Seus pais foram escravos vindos da Etiópia para a Sicília. Era filho de Cristóvão Manasceri e de Diana Larcan. O casal não queria ter filhos para não gerarem mais escravos. O senhor deles, sabendo disso, prometeu que, se eles tivessem um filho, daria a ele a liberdade. Assim, eles tiveram Benedito. E, como prometido, ele foi libertado pelo seu senhor ainda menino.

Quando tinha 20 anos foi insultado por causa de sua raça. Porém, com muita calma e paciência suportou tudo. Vendo isso, o líder dos eremitas franciscanos, Frei Jerônimo Lanza, convidou-o para fazer parte da congregação. São Benedito aceitou prontamente, vendeu tudo o que tinha e se tornou um eremita franciscano, ficando com eles por volta de 5 anos.

O Papa Pio IV, desejando unificar a ordem franciscana, ordenou aos eremitas que se juntassem a qualquer ordem religiosa. Benedito foi para o mosteiro da Sicília, um convento em Santa Maria de Jesus.

UM EXEMPLO DE FÉ E SABEDORIA

Por causa de sua vida exemplar, trabalho, oração e ajuda a todos, Frei Benedito tornou-se um líder natural. Em 1578 foi convidado para ser o Guardião, (superior) do mosteiro, cargo que aceitou depois de muita relutância. Apesar de ser analfabeto, administrou o mosteiro com grande sucesso, seguindo com rigor os preceitos de São Francisco.

Mandava os porteiros não dispensarem nenhum pobre sem antes dar-lhes alimento e ajuda, mesmo na dificuldade do mosteiro. Quando termina seu mandato como superior, ele volta com alegria para o seu ofício de cozinheiro.

Um dia Frei Benedito profetizou que quando morresse teria que ser enterrado às pressas para evitar problemas para seus irmãos. Depois disso, ficou gravemente doente e faleceu no dia 4 de abril de 1589, aos 65 anos de idade. E a profecia se cumpriu: quando ele faleceu uma multidão invadiu o mosteiro para vê-lo, conseguir algum objeto seu ou um pedaço de sua roupa de monge para terem como relíquia do santo pobre e humilde, causando problemas para o convento.

A INSPIRAÇÃO DA BEIRA DE CAMPO EM SANTA RITA

São Benedito foi canonizado em 24 de maio de 1807, pelo Papa Pio Vll. A imagem de São Benedito da Casa do Forno, carrega uma toalhinha na mão, sinalizando seu ofício e sua missão caridosa. Em Santa Rita, sua festa é comemorada no mês de novembro. Sua capela localizada no povoado Marengo, se encontrava abandonada e sua festa quase esquecida, foi então que a família Araújo, decidiu cuidar da capela e da festa a partir de 2011.

No mesmo ano, Amaury Araujo (atual responsável pela festa), encaminhou a imagem para restauração, e depois de tantos anos, os traços que detalham as expressões humanas foram reimpressos, os olhos de vidro da imagem, passaram a ficar mais evidentes, e São Benedito da Casa do Forna se tornou motivos de muita admiração por parte dos especialistas.

Embora a imagem de São Benedito da Casa do Forno de Santa Rita seja viajante, sua capelinha do Marengo faz parte de um roteiro de fé para muitos fiéis de várias cidades e estados. Sua festa tradicional hoje é muito mais do que uma simples manifestação cultural, é sem dúvidas uma das mais belas expressões de fé e peregrinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *