CLA deve ser usado para lançamentos de foguetes mundiais

Ministro da Ciência e Tecnologia quer estabelecer uma nova governança para o setor espacial no Brasil.

Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, defende o estabelecimento de uma Lei Geral do Espaço

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, revelou, em entrevista ao GLOBO, seus planos para o Programa Espacial Brasileiro. Pontes escolheu Carlos Augusto Teixeira de Moura para a presidência da Agência Espacial Brasileira, que cuida do Centro de Lançamento de Foguetes de Alcântara (CLA), no Maranhão, conforme adiantou o blog Politicando .

De acordo com Pontes, a CLA precisa ter serviços de “classe mundial”. Logo no início do governo, o ministro deve lidar com um acordo de salvaguardas tecnológicas com os Estados Unidos, que permitirá o uso da base para lançamento comercial de satélites. Para isso, no entanto, Pontes reconhece ser preciso aguardar que o Congresso aprove uma Lei Geral do Espaço. Segundo ele, a aliança entre os dois países na exploração do centro maranhense não fere a soberania nacional.

O ministro revela que “diversas empresas” estão interessadas na exploração comercial da base espacial, mas que isso ainda não poderá ser feito enquanto não for definido um “arcabouço legal”.

— Nosso passo inicial é garantir que o CLA possa, via sistemas, processos e pessoal devidamente qualificados, prestar serviços de lançamento de classe mundial — explica. — Somente depois disso é que teremos condições de estabelecer o melhor modelo de exploração das atividades.

Com Informações de O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *