Eletricistas da prefeitura são usados para instalar luminárias em comitê de campanha de aliado do prefeito “Moral da Baixada”


Em Arari, a Coligação Continuar para Avançar tem se notabilizado pelo absoluto desprezo às leis. O primeiro tapa na cara de Têmis foi dado logo no dia da convenção partidária que homologou o nome de Rui Filho como candidato do prefeito autointitulado “Moral da Baixada”. Num exemplo clássico de afronta à lei, a Coligação desrespeitou a autoridade judiciária que havia proibido a realização de convenção em via pública e promoveu aglomeração sem obedecer as normas de segurança sanitária. Num só evento cometeu pelo menos três ilegalidades.

Não se trata de episódio pontual. O desrespeito à Justiça virou pandemia. Os exemplos se multiplicam em velocidade equivalente à propagação do coronavírus. Um exemplo: no dia 28 de outubro de 2020, uma equipe de trabalhadores eletricistas, contratados pela prefeitura do município para fazer serviços de eletricidade e manutenção na rede elétrica e logradouros públicos, foi flagrada prestando serviços ao comitê da Coligação Continuar para Avançar. Confiam tanto na impunidade que nem tiveram o cuidado de disfarçar.

Uso indevido da Rádio Comunitária de Arari
Acostumados a rasgar as leis, ridicularizar a Justiça e debochar da população, frequentemente utilizam os microfones da Rádio Progresso FM, transformando-a em ‘palanque eletrônico” a serviço da a Coligação Continuar para Avançar.

Secretário Bombril (mil e uma utilidades)
Outra demonstração de desprezo pelas leis: o diretor da rádio que tem servido de palanque para o candidato da Coligação Continuar para Avançar acumula os cargos de Secretário de Comunicação, Diretor da Rádio e locutor do “Tribuna Livre”, programa que só faz jus ao nome porque o “Secretário Bombril” tem total liberdade para fazer propaganda dos candidatos apoiados pelo prefeito que se considera “Moral da Baixada”.

Têmis nocauteada
No primeiro round da luta do bem contra o mal, Têmis, divindade grega que simboliza a Justiça, foi cruelmente esbofeteada. No segundo round, a situação foi vexatória: Têmis foi nocauteada.

Assim, em Arari, a imagem que personifica a Justiça, representada de olhos vendados com uma balança na mão, ficou irreconhecível, está desfigurada pelos hematomas causados pelos sopapos dados pelo prefeito “Moral da Baixada”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.