BACABAL: Idosa comemora 120 anos e agora busca reconhecimento do Guinness Book

A família diz que chegou a tentar reunir documentos, mas por não saberem como funciona o requerimento e o valor necessário para pedir o reconhecimento, acabaram desistindo.


A maranhense Isabel Alves de Carvalho, conhecida carinhosamente como Dona Belinha, completou 120 anos de vida no último domingo (15). Considerada a moradora mais velha de Bacabal, cidade a 252 km de São Luís, ela recebe diariamente o cuidado e carinho dos moradores da vizinhança onde vive.

Com direito a duas festas de aniversário, Dona Belinha celebrou mais um aniversário ao lado da família e de amigos. A centenária nasceu em 15 de agosto de 1901, no primeiro ano do século XX, na cidade maranhense de Coelho Neto, mas foi registrada em Caxias.

A idade avançada da idosa despertou nos familiares o interesse em buscar reconhecimento do Guinness Book, como a mulher mais velha do mundo.

Até a última edição da publicação, em 2019, um ex-agricultor de cana-de-açúcar em Porto Rico foi confirmado como o homem mais velho do mundo pelo Guinness World Records, poucas semanas antes de seu 113º aniversário. Emilio Flores Márquez nasceu em 8 de agosto de 1908, em Carolina, Porto Rico.

Ao G1-MA, a família explicou que chegou a tentar reunir documentos, mas por não saberem como funciona o requerimento e o valor necessário para pedir o reconhecimento, acabaram desistindo.

“Segundo um membro da nossa família, parece que tem que pagar. Pensei em contratar um advogado para fazer isso, mas não temos condições no momento. Mas pensei em buscar ajuda com um defensor público”, disse Davi Alves filho adotivo da idosa.

– Doenças
Por conta da idade avançada, Dona Belinha desenvolveu alguns problemas de saúde como perda da visão, dificuldades de audição e há oito anos, ela também não se locomove sozinha. Além disso, a idosa vive sob cuidados médicos devido ao Alzheimer.

Mesmo assim, o problema relacionado ao Alzheimer não fizeram Dona Belinha esquecer passagens bíblicas e orações. Segundo o filho, a idosa, que é evangélica há mais de 50 anos, faz os agradecimentos todos os dias antes das refeições.

“Esse agradecimento ela faz sempre, foi o que ela mais nos ensinou, e continua ensinando, sempre agradecer”, disse Davi Alves.

Do Domingos Costa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.