Vereador diz que Léo Cunha não quer dá reajuste aos professores mas quer dobrar a taxa de iluminação pública


O vereador Diney Noleto revelou na sessão da Câmara Municipal de Estreito nesta terça-feira (17) que seus colegas vereadores o convidaram para participar de uma reunião para tratar do reajuste da iluminação pública. Ouça o áudio abaixo.

O prefeito Léo Cunha parece que resolveu mostrar sua face mais cruel, após dizer não aos professores e partir para a guerra contra a classe da educação, agora ele resolve mexer no bolso de toda a população. O argumento utilizado por Léo Cunha para não pagar a data base dos professores é que não se pode realizar aumentos de despesas na Pandemia, o pagamento da data base na visão dele seria um “reajuste” e portanto não seria legal sua concessão. Porém, quando o assunto é aumentar tributos aí a conversa é diferente, o Prefeitão entende que pode e deve reajustar a Contribuição de Iluminação Pública mas contas de luz de todos os Estreitenses.

A confirmação veio na sessão da câmara de vereadores deste dia 17/08 quando o Vereador Diney Noleto indignado desabafou e revelou o plano maquiavélico da atual gestão que até então era tratado como segredo de Estado.

Por incrível que parece no legislativo os demais vereadores simplesmente concordaram em manter em segredo, escondendo da população tal plano. Mais grave que isso, os vereadores não se posicionaram publicamente contra a idéia, visto que ao debaterem a proposta indica uma possível aceitação. A câmara de vereadores não deveria sequer discutir tamanho absurdo, expondo a população tal fato, defendendo os interesses da sociedade, mas pelo visto não foi isso que ocorreu.

O vereador denunciante se mostrou indignado com tamanha falta de sensibilidade e respeito com a população. Léo Cunha deveria respeitar os cidadãos de Estreito, pois em meio a um momento tão delicado, qualquer reajuste na iluminação pública tira dos trabalhadores até mesmo a comida da mesa, não bastasse pagar um valor alto nas contas de energia e as ruas da cidade estarem na escuridão, a empresa que ganhou a licitação para a manutenção da iluminação pública recebe mais de 100 mil reais por mês.

Os vereadores tem a obrigação de se posicionar contra tal possibilidade publicamente, pois caso contrário a população saberá que 10 vereadores concordam com o reajuste e portanto são contra a povo de Estreito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.