Açougueiro mostra carne em situação precária mesmo após aumento de taxa no Matadouro de Estreito

A gestão do atual prefeito de Estreito, Leo Cunha (PL), foi alvo de mais uma polêmica nesta sexta-feira (25).

Após aumentar a taxa de iluminação pública, o gestor dobrou o valor cobrado pelo abate de bovinos no Matadouro Público Municipal.

O aumento da taxa que era em torno de R$ 70 reais, subiu para R$ 165. Logo após o aumento a gestão de Leo Cunha foi alvo de protestos envolvendo fazendeiros, açougueiros e a população em geral. Após um longo acordo o gestor decidiu baixar o valor para R$ 120.

Os açougueiros e pecuaristas concordaram com o valor. A eles foi garantido um serviço e uma carne de qualidade. Porém de acordo com um vídeo de um açougueiro, na última segunda-feira e nesta sexta-feira, a carne veio cortada a machado e as principais partes bovinas comprometidas. Caso o problema não seja resolvido, os açougueiros prometem uma nova manifestação.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.