Sindicalistas usam greve para fazer política em Santa Inês

Os áudios e vídeos, que vazaram nas redes sociais, deixam claro que a greve do Sindicato em Santa Inês é realmente por interesses políticos. Ouça o áudio abaixo de um dos sindicalistas pedindo para os professores ignorarem a decisão da Justiça que determina o retorno imediato às salas de aulas e resistirem o tempo que for necessário até que a gestão pague o que eles querem.

ÁUDIO SINDICALISTA

Notável que o Sindicato pouco se importa com a aprendizagem dos alunos, mesmo tendo consciência de que eles passaram 2 anos sem aulas presenciais. A alegação do Sindicato é o reajuste de 33,24% dado pelo Presidente Jair Bolsonaro. O Sindicato só não quer aceitar que esse reajuste é sobre o piso nacional da categoria, que passou de R$ 2.886,00 para R$ 3.845,63. No vídeo abaixo, um dos diretores do Sindicato reconhece que a Prefeitura de Santa Inês já paga o piso, mas eles querem mais dinheiro.

VÍDEO

Como o município está cumprindo a Lei do Piso Nacional (Lei Nº 11.738, de 16 de julho de 2008), o Tribunal de Justiça emitiu decisão determinando a greve ilegal e ordenando que o sindicato encerre o movimento paredista sob pena de multa diária no valor de R$ 10.000,00 e descontar as faltas dos faltosos na sala de aula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.