CANTANHEDE: O DIA QUE KABÃO VETOU O DIA DO EVANGÉLICO


Em meados do ano 2015, um projeto de Lei chegou até à mesa do então prefeito da época, José Martinho dos Santos Barros, o Kabão. Nele, a câmara entregava a aprovação por unanimidade, para que no segundo sábado de outubro de todos os anos a partir dali, fosse instituído o DIA MUNICIPAL DO EVANGÉLICO.

Sem hesitar, respeitar ou tentar ouvir alguém, Zé Martinho vetou a Lei, argumentando sem a menor base, que o estado é laico. Ora, justamente por isso, que a Lei tinha e tem uma grande e visível legalidade, que logo foi contestada. Enquanto isso, municípios vizinhos como Matões do Norte, São Mateus e tantos outros, aprovavam e sancionavam essa lei justa e que demonstra o respeito que todo gestor deve ter também pelas igrejas.

Após repercutir muito mal e vários líderes religiosos se manifestarem, o ex-prefeito resolveu sancionar da forma dele, alterando a data para dentro da festa do município, ficando assim um dia lembrado apenas pela programação certa e anual do aniversário da cidade.
É lamentável, que alguém que tentou privar cantanhedenses de direitos e do respeito, queira mais uma vez voltar ao poder.

Parabéns ao atual prefeito Ruivo, por ouvir as lideranças religiosas e ao lado delas, definir o Dia do Evangélico e sancionar sem nenhuma restrição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.