MOB desmente Fake News sobre problemas com a embarcação Baía de São Marcos

A Agência de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos- MOB emitiu uma nota sobre uma Fake News publicada em Blogs ligados ao Senador Weverton Rocha (PDT), que há tempos tenta politizar os serviços de ferryboat na Baía de São Marcos que fazem travessia entre São Luís e a Baixada Maranhense.

Na nota, a MOB esclareceu que a embarcação Baía de São Marcos não foi rebocada e que devido a maré baixa, o comandante da embarcação optou em parar a embarcação para que ela não viesse a encalhar.

Acompanhe a Nota:

A Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos- MOB esclarece que a embarcação Baía de São Marcos não foi rebocada por nenhum outro ferryboat nesta quinta-feira (11).

A embarcação Baía de São Marcos estava de saída do Terminal do Cujupe com destino ao terminal da Ponta da Espera, quando o comandante da embarcação notou um “morro de areia”, devido a maré estar baixa (condições climáticas normais para o período de agosto e setembro). Diante das circunstâncias, o comandante da embarcação optou por parar a embarcação por volta de 10 a 15 minutos, a fim de que a mesma não viesse sofrer o encalhe.

No decorrer desta paralisação, o ferryboat Cidade de Alcântara que também vinha no mesmo percurso, passou pela frente do ferry Baía de São Marcos, evitando que também encalhasse e seguiu a viagem normalmente sem nenhuma interferência no percurso.

Mãe mostra quarto que estava à espera do filho e comunica seu falecimento após descaso da Saúde de Estreito

Através das redes sociais, Eduarda Salazar, relatou que o filho nascido no município de Ribamar Fiquene (Sumaúma), faleceu nesta quinta-feira (11).

O recém-nascido nasceu no município a quase 100 km de Estreito, após a mãe não receber o atendimento adequado no Hospital Municipal de Estreito. Ela relata que pegou uma van por conta própria para ir buscar atendimento médico em Imperatriz, quando estava no veículo acompanhada da própria mãe, as dores aumentaram e a bolsa estourou.

Eduarda foi levada às pressas para um hospital no município de Ribamar Fiquene, a criança nasceu e foi encaminhado para uma UTI em Imperatriz. Devido a demora do trajeto o quadro do recém-nascido, pirou ainda mais.

No dia do parto, ela relatou através das redes sociais, que começou sentir dores as 03:00 da madrugada. Ao amanhecer foi até o hospital de Estreito, onde teria recebido atendimento médico e mandada de volta para casa.

Eduarda e a mãe, relatam que diante da situação, se negaram a voltar para casa, pediram uma ambulância para deixá-las até em Imperatriz, mas foi negado.

Por inciativa própria, elas pegaram uma van na esperança de receber o atendimento adequado em Imperatriz. Mas no meio do trajeto, o parto inesperado aconteceu.

Diante de tudo isso, a criança foi levada para UTI em Imperatriz, onde passou alguns dias, vindo a falecer nesta quinta-feira (11).

Com essa, é a 4º morte de recém-nascido em menos de um ano envolvendo a Saúde do município de Estreito. Nas redes sociais diversas mães, compartilharam mensagens de apoio a Eduarda.

Carlos Lula lamenta fraqueza do Ministério da Saúde para conter casos de monkeypox

Nas redes sociais, o ex-secretário de Estado da Saúde e ex-presidente do Conass, Carlos Lula, destacou a falta de ação rápida do governo federal para reduzir a transmissão do vírus monkeypox no Brasil. Nesta quarta-feira (10), o Maranhão registrou o primeiro caso positivo.

“Como sempre lamentamos a resposta tardia do Ministério da Saúde a uma emergência de saúde global. Afinal de contas, cadê a vacina?”, escreveu Carlos Lula.

Apenas ontem (9), o Ministério da Saúde resolveu colocar o país em nível máximo de alerta e lançar um plano de contingência. A medida acontece quase 20 dias após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar emergência de saúde global.

“Na escalada de casos no país, o Ministério conseguiu acabar com o gabinete de crise para observar a doença e depois foi obrigado a reabri-lo. São os piores da história. Com alguma folga”, criticou.

Enquanto o governo brasileiro ainda negocia a compra de vacinas, os Estados Unidos já aplicam as doses desde o mês de julho.

Xeque-Mate alerta para as mentiras dos candidatos no período eleitoral

Ainda sobre a edição de ontem (09) do programa “Xeque-Mate”, Rádio Mais FM, o apresentador Matias Marinho chamou atenção dos ouvintes e da população maranhense sobre os cuidados na escolha dos seus candidatos para as eleições de 2022.

Marinho destacou que alguns deputados e senadores propagam pelo Maranhão que enviaram ou estão enviando verbas para melhoria do nosso estado, no entanto, a verba não aparece, sendo que as obras acabam ficando por conta do Governo do Estado.

“O ouvinte Márcio tá falando da recuperação de uma BR. E sabe quem tá recuperando isso… é o Governo do Estado. O governador Carlos Brandão determinou que essa BR-402 seja recuperada independente do Governo Federal, independente dos senadores que não tiveram a decência de mandarem dinheiro para recuperarem essa BR, importante via turística para o nosso estado”, disse Matias Marinho.

No final da sua fala, Matias reforçou sobre os cuidados e atenção às falsas promessas e mentiras de determinados candidatos no período eleitoral.

Candidata à vice prefeita de Jeisael Max, Janicelma Fernandes é aposta do partido REDE para Câmara federal em 2022

A Federação Rede/PSOL MA fechou a convenção com 18 candidaturas para deputados e deputadas federais. Dentre elas, está JANICELMA FERNANDES como uma aposta promissora do partido Rede .
A Pedagoga e Psicóloga JANICELMA foi candidata a vice prefeita nas eleições 2022 junto com Jeisael Max e ambos tiveram uma votação expressiva .

Agora, ela recebe o apoio da direção nacional do partido para seguir firme rumo à câmara federal.

JANICELMA é uma figura carismática, com grande trabalho no ativismo dos direitos humanos de crianças e adolescentes.

Nascida em presidente Dutra- MA, recebeu titulo de cidadã ludovicense e a Medalha Simão Estácio da Silveira, sendo essa a maior honraria concedida pela Câmara de Vereadores para pessoas que se destacam pelo seu trabalho.

Pode está chegando um sangue novo para ocupar uma das 18 vagas do MA na câmara Federal.

“Eu sei fazer, tenho como trazer mais desenvolvimento ao Maranhão”, diz governador Carlos Brandão em entrevista

Na manhã desta quarta-feira (10), o governador Carlos Brandão (PSB) participou da terceira entrevista da série de diálogos com os candidatos ao Governo do Maranhão, do quadro Bastidores da TV Mirante, no qual foram defendidos temas como um Maranhão atrativo para negócios, captação de empresas, geração de emprego e renda, capacitação de jovens, e avanços em saúde, educação, segurança alimentar e infraestrutura.

Candidato à reeleição, Brandão falou, ainda, sobre sua trajetória pública com ficha limpa, a sua capacidade técnica para continuar governando o Maranhão e a gestão compartilhada que foi desenvolvida junto ao ex-governador Flávio Dino.

Tenho grande experiência tanto no Legislativo quanto no Executivo, isso me credencia a continuar administrando o Estado. Durante a nossa gestão compartilhada, eu e o ex-governador Flávio Dino tivemos enormes avanços nas áreas da saúde, educação e infraestrutura. Eu sei fazer, tenho como contribuir bastante para trazer mais desenvolvimento, cidadania, oportunidade e fazer do Maranhão um lugar mais justo e solidário”, afirmou o governador Carlos Brandão.

Emprego e renda

Como parte do plano de governo, Carlos falou sobre o esforço na geração de emprego e renda no Estado, que inclui a continuidade das ações de captação de empresas externas atraídas pelas potencialidades do Maranhão.

O grande desafio é fazer com que as pessoas ingressem no mercado de trabalho. Eu, nesses últimos 4 anos, virei uma espécie de embaixador do Maranhão, estive por 10 países prospectando investimentos e apresentando as potencialidades do nosso Estado para os investidores, banqueiros e embaixadores, em áreas como a economia, agronegócio, turismo, indústria e portuária”, pontuou o governador.

Pensando, ainda, no ingresso dos jovens ao mercado de trabalho, Brandão frisou que, aliada à atração de empresas, pretende expandir as escolas de tempo integral, garantindo capacitação adequada e que as novas vagas sejam ocupadas pelos próprios maranhenses.

Para isso, nós tivemos que preparar os nossos jovens para o mercado. Não adianta a gente trazer investimentos e esses espaços serem ocupados por pessoas de outros estados. Vamos continuar ampliando as escolas de tempo integral, é uma coisa que revoluciona o Estado. Ao assumir o Governo, lancei 50 colégios militares, e quero aumentar o número de Iemas, que são uma ferramenta fantástica para formar talentos”, disse Brandão.

Justiça social

Na ocasião, o jornalista Clóvis Cabalau questionou se os obstáculos à economia, à educação e à saúde, causados pela pandemia, interferem na oferta de estrutura para o recebimento de novos investimentos. Brandão contestou que a atração de novos investimentos se baseia na melhoria do IDH, e destaca os avanços do Maranhão ao longo dos últimos anos, sobretudo, em saúde.

Nós temos que ver o tripé do desenvolvimento do Estado no que diz respeito ao IDH. Para melhorar o IDH, nós temos que investir fortemente na educação, saúde e renda. Avançamos muito na saúde, quando assumimos não tínhamos uma policlínica, hoje temos 17. Quanto aos Hospitais, hoje temos uma rede que foi ampliada para mais de 30 unidades, tivemos o melhor desempenho durante a pandemia. Hemodiálise era um drama, tínhamos apenas 24 máquinas em São Luís, hoje são 480”, respondeu o candidato.

O entrevistador perguntou, ainda, se o Governo estaria preparado para os custos da oficialização do novo piso da Enfermagem. Carlos destacou que é legítima a formalização do novo piso e que ele faz parte da melhoria do serviço público, assim como o esforço do Governo para ofertar vagas aos profissionais.

Primeiramente, eu acho muito justo, tem que ser implantado. Toda categoria tem que ter seu piso. A gente deve apenas fazer alguns ajustes para continuar investindo e melhorando o serviço público. Mesmo com todas as despesas, empregamos muitos profissionais. Quando se vê os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Maranhão, nos últimos 6 anos, foi o Estado que mais gerou emprego no Nordeste e o 4º maior do Brasil. Só esse ano, foram gerados cerca de 20 mil empregos formais, grande parte destes na saúde”, afirmou o governador.

Mais saúde

Ainda como parte das conquistas na área da saúde, Carlos Brandão citou o andamento das obras do Hospital da Ilha e do Socorrão de Imperatriz, que fazem parte da iniciativa do Estado de garantir o amparo nos atendimentos de urgência e emergência, que são de responsabilidade dos municípios.

O Hospital da Ilha é o grande Socorrão de 400 leitos que estamos concluindo com equipamentos ultra modernos, de última geração e a custo zero para o usuário. Há muitos anos, não se tinha um Socorrão de qualidade. Apesar de a urgência e emergência não ser de responsabilidade do Estado, enfrentamos o desafio com muita coragem para construir um Socorrão em Imperatriz e outro em São Luís”, citou Brandão.

Brandão mencionou o empenho do Governo para zerar as filas de cirurgias, o que tem sido possível graças à criação de mutirões e a implantação de unidades hospitalares especializadas, a exemplo do Hospital de Ortopedia e Traumatologia.

São conquistas que a população não tinha. O Hospital de Ortopedia e Traumatologia, por exemplo, nós não tínhamos em São Luís. Hoje temos um no Turu que faz cerca de 400 cirurgias por mês. Antes, eram mais de 3 mil operações represadas porque não tinha hospital. Hoje temos até o Hospital do Câncer, o Hospital Geral”, lembrou o governador.

Investimentos no Maranhão

Quanto aos investimentos, gastos e perda de arrecadação pública, Clóvis Cabalau questionou como o candidato à reeleição pretende tratar do comando da “máquina pública”.

A máquina pública tem que ser administrada com austeridade, o que a gente não pode fazer é desviar dinheiro público. Isso é algo que levo como um legado durante a minha vida pública. É preciso preservar e cuidar do dinheiro público. Às vezes falam que a máquina pública está inchada, mas se ela estiver prestando um bom serviço, ela tem um retorno para a sociedade”, afirmou Brandão.

O governador falou, ainda, que como parte da boa administração da máquina pública foi possível garantir a implantação e ampliação de importantes programas como o Restaurante Popular.

Quando nós assumimos, tínhamos apenas 6 restaurantes populares. Hoje, temos 150. O ex-governador Flávio Dino me entregou 100 e eu, em três meses, inaugurei 50 e pretendo inaugurar mais 40. Às vezes questionam que mais é um gasto com estrutura, mas nós estamos alimentando 100 mil pessoas todos os dias ao preço simbólico de R$ 1 real. Será que isso é jogar dinheiro fora? Só sabe isso quem passa fome. É um serviço de cidadania em um momento de dificuldade”, explicou Carlos.

Maior coligação da história

Com um significativo número de partidos apoiando a sua reeleição, Carlos Brandão explicou que a formação da maior coligação da história do Estado ocorreu graças a certeza de que ele possui o melhor projeto de Governo para o Maranhão.

A capacidade de unir 11 partidos na nossa coligação, a maior formada na história do Maranhão, significa dizer que muita gente está convencida de que o nosso projeto é o melhor para o Maranhão”, frisou o governador.

Brandão anuncia reforço na segurança alimentar por meio dos Restaurantes Populares

Por meio de suas redes sociais, o Governador Carlos Brandão (PSB) anunciou novas mudanças na alimentação oferecida pelos restaurantes populares, que devem passar a servir café da manhã de segunda a sexta e feijoada aos sábados.

As mudanças, segundo informou o gestor, serão responsáveis por ampliar a segurança alimentar das famílias maranhenses menos favorecidas.

Importante destacar que a refeição em todas as mais de 110 unidades dos restaurantes populares espalhadas pelo Estado custa um valor simbólico de R$ 1.

Brandão anuncia nomeação de mais 300 policiais militares para reforço na segurança pública

O anúncio foi feito na manhã de hoje (10), por meio das redes sociais do governador Calor Brandão (PSB) e representa uma vitória para os aprovados no último concurso público da Polícia Militar do Maranhão.

De acordo com o anúncio, serão nomeados 300 novos policiais militares, 13 delegados, 13 investigadores e 13 escrivães, todos do cadastro de reserva.

Os novos servidores serão responsáveis pela ampliação da segurança pública estadual maranhense.

Justiça determina que município de Pindaré-Mirim nomeie aprovados em concurso

Atendendo solicitação do Ministério Público do Maranhão, feita em Ação Civil Pública, a Justiça condenou o Município de Pindaré-Mirim, em 4 de agosto, a convocar e nomear definitivamente os aprovados no concurso público para o cargo de guarda municipal, dentro do prazo de validade.

Em caso de descumprimento, foi estabelecido o pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil, limitado ao montante de R$ 500 mil.

A Ação Civil Pública foi proposta pelo promotor de justiça Cláudio Borges dos Santos. Proferiu a sentença o juiz João Vinícius Aguiar dos Santos.

Na Ação, foi apontado que, de acordo com informações dos aprovados e da Fundação Sousândrade, foram realizadas todas as etapas do certame regido pelo Edital nº 002/2016: prova objetiva, teste de aptidão física, convocação para exame médico específico e curso de formação, com a publicação do resultado final após fase recursal em 2 de fevereiro de 2017. Contudo, o Município não homologou nem nomeou os aprovados.

Diante do problema, a Promotoria de Justiça da Pindaré-Mirim expediu, em 10 de junho de 2019, Recomendação, na qual sugeriu ao prefeito de Pindaré-Mirim que, no prazo de 20 dias, efetuasse a homologação do concurso público.

Após ser notificado, o Município solicitou a prorrogação do prazo para o cumprimento, o qual foi deferido parcialmente. Apesar disso, o Município continuou sem apresentar informações ao Ministério Público bem como não homologou o certame.

Levando em consideração o prazo de validade do concurso: dois anos contados a partir da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por mais dois, após fase recursal, o Ministério Público ajuizou Ação Civil para a devida homologação. Com a judicialização, a Prefeitura de Pindaré-Mirim realizou a homologação em 26 de agosto de 2020. Contudo, continuou sem nomear os aprovados.

Com mais unidades inauguradas, Restaurantes Populares estimulam a agricultura familiar do estado

Até final de agosto, o Maranhão contará com 150 restaurantes.

A rede de segurança alimentar do Maranhão ganhou reforço na última semana. Da quarta-feira (3) até o domingo (7), o Governo do Estado entregou oito novos Restaurantes Populares no interior do estado. Para Paulo Casé Fernandes, secretário de Desenvolvimento Social do Estado (Sedes), a ampliação da rede também vai estimular a produção de unidades de agricultura familiar.

O combate à fome também acontece por meio do que é produzido nos próprios municípios atendidos pelos restaurantes. Seja comprando a batata, a alface ou outros produtos hortifrutícolas, queremos que os pequenos agricultores sejam fornecedores dessa rede”, destacou Paulo Casé. De acordo com o secretário, o fortalecimento da agricultura familiar é uma das metas estabelecidas pelo governador Carlos Brandão.

Na manhã da quarta-feira, foram inauguradas três unidades, nos municípios de Carutapera, Cândido Mendes e Luís Domingues. No dia seguinte, mais dois restaurantes foram entregues, em Olinda Nova do Maranhão e Santa Luzia do Paruá. Já no sábado, foi a vez dos municípios de São Pedro dos Crentes e Riachão ganharem suas unidades. Por fim, no domingo, a população de Olho D’Água das Cunhãs também ganhou o seu restaurante.

Em todas as oito unidades, serão fornecidas 500 refeições no almoço e 250 no jantar. Além de refeições balanceadas e ricas em valor nutricional, os restaurantes ainda irão oferecer acompanhamento nutricional por meio de dietas específicas, oficinas e ações de conscientização alimentar e orientação nutricional nas diversas patologias.

Na inauguração em Riachão, o secretário relembrou que, no final de julho, assinou dois termos de cooperação estabelecendo que 30% dos produtos hortifrutícolas adquiridos para produção das refeições sejam adquiridos dos pequenos agricultores, além de determinar assistência técnica e gerencial a esses produtores. Os termos foram assinados em conjunto com a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) e Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp).

De acordo com a secretária adjunta de Segurança Alimentar e Nutricional da Sedes, Lourvídia Caldas, a assinatura dos termos levará estímulo para pequenos agricultores locais por meio de suporte na produção. “Acreditamos que com essa parceria estabelecida, junto com a Aged e a Agerp, iremos estimular os agricultores por meio de apoio com sementes e outros insumos”, afirmou.

Antes de estabelecer a parceria, a Sedes já desenvolvia a política de aquisição de insumos produzidos pela agricultura familiar para os restaurantes. A identificação dessas unidades familiares ocorre em parceria com as secretarias de agricultura de cada município, que informa quem são os produtores cadastrados no banco de dados municipal e informa quais insumos são produzidos, bem como o quantitativo.

Após essa etapa, os agricultores são direcionados para a equipe dos restaurantes, que realizam a negociação para a compra dos insumos. “Nós temos tido resultados positivos. A equipe de nutrição, inclusive, até visita os espaços onde é realizado o plantio. Nós estamos percebendo que há um crescimento na produção”, contou Lourvídia Caldas.

Para Paulo Casé, a assinatura dos termos irá reforçar o trabalho já desenvolvido pela Sedes. “Aged e Agerp estarão nos municípios para assessorar as secretarias de agricultura, oferecendo o apoio necessário para que as unidades de agricultura familiar possam aumentar sua produção, sabendo que terão a compra dos seus produtos garantida”, explicou o secretário.

Rumo aos 150 Restaurantes Populares
Desde abril deste ano, a Sedes, sob comando de Paulo Casé Fernandes, já inaugurou 42 Restaurantes Populares em todo o Maranhão. “Nós estamos cumprindo com a missão dada pelo nosso governador Carlos Brandão, que determinou alcançarmos, até o fim de agosto, 150 restaurantes”, pontuou o secretário.

Para Deusamar Rodrigues, moradora de Riachão, a chegada do restaurante no município trará economia. “Eu estou muito alegre, porque pelo valor de R$ 1,00, a gente sai bem servido e poupando o dinheiro que ia para feira”, afirmou.

Já para José Ernesto da Silva, de Santa Luzia do Paruá, o equipamento trará mais dignidade. “O benefício desse restaurante aqui é enorme. Uma pessoa que está passando fome saber que pode comer por R$ 1,00 é uma satisfação muito grande”, afirmou.