Dilton Carvalho na mira do GAECO; Operador criminoso do Consórcio Intermunicipal Multimodal


O ex-candidato a deputado federal derrotado nas urnas e atual diretor executivo do consórcio intermunicipal multimodal – CIM, Dilton Carvalho Ribeiro é apontado como chefe de uma rede criminosa que desvia dinheiro dos cofres públicos dos municípios maranhenses através do consórcio. Ele está na mira do grupo de atuação especial de combate às organizações criminosas – Gaeco.

De acordo com informações do Maranhão de Verdade, Dilton Carvalho teve o aparelho de celular grampeado e virou alvo de investigação por fraudes em contratos. “Todas as operações criminosas feitas dentro do consórcio é de autorização do diretor executivo, tem muita força política dentro do órgão, que a própria ex-presidente do consórcio durante sua gestão”, revelou um prefeito sócio que não quis se identificar. No vídeo abaixo, revela o poder de Dilton Carvalho no consórcio:

Dilton deverá responder por formação de organização criminosa, fraude em licitações, tráfico de influência, peculato e corrupção ativa e passiva. Se confirmados os indícios, o diretor executivo do consórcio pode parar atrás das grades por muito tempo devido ao acúmulo de crimes práticados no consórcio.

O programa Repórter Record Investigação na temporada Dossiê Carajás: Corrupção e Descaso que demorou quatro meses para ser gravado pela emissora e, exibido na noite da última quinta-feira (14), revelou a participação de Karla Batista, ex-prefeita de Vila Nova dos Martírios, no CIM, Consórcio Intermunicipal Multimodal. Para o TCE, na prática, o consórcio pode ser a caixa preta da corrupção em licitações fraudulentas em cidades às margens da Estrada de Ferro Carajás.

No consórcio estão associados 26 municípios, sendo 25 no Maranhão e 01 no Pará. Confira eles: Açailândia, Alto alegre do Pindaré, Anajatuba, Arari, Bacabeira, Bela Vista do Maranhão, Bom Jardim, Bom Jesus das Selvas, Bom Jesus do Tocantins, Buriticupu, Cidelândia, Igarapé do Meio, Itapecuru Mirim, Itinga do Maranhão, Miranda do Norte, Monção, Pindaré Mirim, Santa Inês, Santa Luzia, Santa Rita, São Luís, São Francisco do Brejão, São Pedro da Água Branca, Tufilândia, Vila Nova dos Martírios e Vitória do Mearim.

Consórcio com mais de 26 cidades é apontado como fonte de corrupção em licitações fraudadas, veja no vídeo abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *