Dr. Gutemberg solicita inclusão das pessoas com comorbidades, síndrome de down, além de taxistas, garis e outros grupos prioritários no Plano Municipal de Vacinação

O vice – presidente da Câmara Municipal de São Luís, o vereador e médico, Dr. Gutemberg Araújo (PSC), fez importante solicitação à mesa diretora da Câmara para que seja encaminhado ofício ao prefeito Eduardo Braide e ao secretário da SEMUS, Dr. Joel Nunes, para a inclusão imediata de seis grupos prioritários no Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19. O parlamentar justificou cada uma de suas proposições.

No documento assinado pelo vereador Dr. Gutemberg, ele pede a inclusão imediata para a vacinação das pessoas com Síndrome de Down, das pessoas com comorbidades (obesidade, diabéticos e outros), além dos servidores da limpeza pública (garis), taxistas, funcionários das agências bancárias e os funcionários do serviço funerários.

Para o pedido da vacinação imediata das pessoas com síndrome de Down, o vereador citou um estudo publicado em outubro de 2020 pela Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Segundo o estudo, as pessoas com síndrome de Down possuem uma maior vulnerabilidade imunológica e tem cinco vezes mais propensão de serem hospitalizados. E desde o início da pandemia, vários estudos já constataram que pessoas com comorbidades (obesidade, diabete e outras) têm mais chances de desenvolver a forma mais grave da Covid-19”, afirma Dr. Gutemberg.

Além da preocupação constante com os profissionais da saúde, Dr. Gutemberg tem manifestado apoio a diversos grupos de profissionais que, diariamente, estão mais expostos a contaminação da doença.

O parlamentar entende que é essencial colocar na relação de grupos prioritários para a vacinação: os funcionários da limpeza pública, taxistas, funcionários das agências bancárias e os funcionários do serviço funerários.

No exercício de suas profissões, mesmo seguindo os protocolos, os taxistas, bancários e garis estão diariamente em amplo contato com um grande número de pessoas. Além da exposição, eles se tornam potenciais propagadores involuntários do vírus, pois estão em ambientes com alta possibilidade de contaminação. Assim como os funcionários das funerárias, que atuam em unidades de saúde e outros ambientes com altos índices de contaminação. Esse pedido visa resguarda todos esses trabalhadores, que estão prestando um serviço indispensável e de risco, garantido a segurança e a manutenção da força de trabalho.”, analisa Dr. Gutemberg.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *