Erlânio Xavier faz demissão na Famem em plena pandemia


O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), Erlânio Xavier, prefeito de Igarapé Grande, braço direito e sócio petrolífero do senador Weverton Rocha, acaba de promover uma série de demissões na entidade, colocando diversos pais de família no olho da rua em plena pandemia do coronavírus. Desde quando assumiu a direção da Federação, no seu primeiro mandato, que o clima se tronou irrespirável ali, por conta das perseguições.

O ex-prefeito de Poção de Pedras, Júnior Cascaria, era um dos carrascos da entidade, e agora, desfruta de uma sinecura, com alto salário, sem precisar, uma vez que é homem rico, mas se presta a esse papel, tirando o pão da mesa de quem realmente trabalhava e necessita.

Faz dobradinha com o diretor-executivo, Marcelo Freitas, o principal articulador das demissões. Tudo para se aproveitar das tetas da Federação. Tem contrato empresarial, em nome de terceiros, de quase R$ 20 mil, para gerenciar o site, o Portal da Transparência e o Diário Oficial. Está na mamata há vários dias, porque tem o talento de se agarrar a qualquer um que chegue na presidência.

Sua rotina ali é perseguir para demitir, fazendo o jogo do patrão e deixando dezenas de trabalhadores passando necessidade. Chegou ali no tempo de Hildo Rocha e se mantém puxando saco de qualquer presidente. Depois, passa a esculhambar quem por ali passou. Tem o instinto do escorpião.

Já o presidente Erlânio Xavier, que na surdina articula com seu chefe Weverton Rocha para ser o candidato a vice governador na chapa de Brandão, pode dar com os burros n’água, uma vez que a Justiça Federal ainda vai julgar um processo em que é alvo, que diz respeito a desvio de verbas no tempo da então prefeita Bia Venâncio, de Paço do Lumiar.

Ele era fornecedor no período e acabou sendo preso e liberado posteriormente, passando um tempo usando tornozeleira eletrônica. A FAMEM hoje está entregue a dois déspotas. Erlânio Xavier que é pernambucano e fez carreira no Maranhão e o piauiense Marcelo de Freitas, que arrota ser o manda-chuva na entidade. É ele quem faz os contratos, é quem avalia, quem paga e quem recebe. Julga e condena.

Além de ser diretor-executivo na FAMEM, Marcelo é também assessor da SECAP. Talvez seja um dos únicos do Maranhão a encontrar tempo suficiente para exercer duas funções que exigem dedicação exclusiva, em órgãos diferentes. Coisa que nem o Ministério Público e nem o Tribunal de Contas do Estado (TCE/MA), conseguem enxergar, uma vez que ele tem o apadrinhamento de Weverton Rocha de um lado e do deputado federal Márcio Jerry do outro.

RELAÇÃO DOS ATUAIS DEMITIDOS

Rita de Cássia – Meio Ambiente

Rose – Assistência Social

Marcos Dyonny – Informática

Lorena Saraiva – Educação

Mendes – Escola de Gestão

Renata Coqueiro – Jurídico

Celimar – Recepção

Leandro Pimenta – Administração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *