Weverton Rocha é um dos senadores que mais torrou dinheiro público com passagem em 2021


Embora ainda gradual, o retorno das atividades presenciais no Senado Federal tem feito parlamentares aumentarem os gastos com viagens. Graças à reabertura do plenário, antes fechado em função da pandemia da Covid-19, e à volta das comissões parlamentares, a Casa despendeu o equivalente a R$ 2.066.117,16 com passagens aéreas e terrestres para os senadores em 2021.

Se mantiver a média, a tendência é que o dinheiro gasto em passagens neste ano supere, já em setembro, os R$ 2,4 milhões despendidos em 2020.

Apesar do crescimento nas despesas, o cenário era esperado, uma vez que, no ano passado, a Casa funcionou de maneira semipresencial. Ou seja, os senadores participavam virtualmente das sessões em seus respectivos estados.

Apesar do crescimento nas despesas, o cenário era esperado, uma vez que, no ano passado, a Casa funcionou de maneira semipresencial. Ou seja, os senadores participavam virtualmente das sessões em seus respectivos estados.

Chama a atenção, porém, o aumento significativo que alguns parlamentares tiveram com locomoção entre um ano e outro. Conforme levantamento feito pelo Metrópoles no Portal da Transparência do Senado, o senador Zequinha Marinho (PSC-PA) lidera as despesas da Casa com viagens.

Os números apontam que o parlamentar havia gastado, até a metade de agosto, o montante de R$ 114.750,50 – R$ 29,3 mil a mais do que em todo o ano passado. O valor despendido pelo senador paraense é o equivalente ao dobro do que gastou toda a terceira maior bancada do Senado, o Podemos, que possui nove integrantes.

As despesas de Zequinha com os tíquetes aéreos são, também, superiores aos gastos de senadores que comparecem presencialmente ao Senado Federal desde abril deste ano. É o caso dos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, instalada quando ainda não havia perspectiva de reabertura do plenário.

Após Zequinha, o senador que mais se utilizou das viagens financiadas com dinheiro público foi Luis Carlos Heinze (PP-RS), que gastou R$ 104.343,38. Na sequência, estão os senadores Omar Aziz (despesa de R$ 87.648,79); Jorginho Mello (R$ 86.908,75); Alessandro Vieira (R$ 81.762,80); Weverton Rocha (R$ 69.652,85); e Fernando Bezerra Coelho (R$ 65.340,20). Destes, apenas Weverton não é membro da comissão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.