Secretário de Infraestrutura, Aparício Bandeira, vistoria rodovia que dá acesso à Ponte sobre o Rio Pericumã

Na manhã desta terça-feira (31), representando o Governo do Maranhão, o secretário de Estado da Infraestrutura, Aparício Bandeira, seguido de equipe técnica da Sinfra, vistoriou as obras da MA-211, rodovia que dá acesso à ponte Antônio Jorge Dino, sobre o Rio Pericumã. Além de impulsionar o turismo, a ponte interliga os municípios de Central e Bequimão e amplia a mobilidade para o todo o Litoral Ocidental maranhense.

Acompanhando de perto os trabalhos realizados no local, o secretário Aparício, destacou o gerenciamento do Governo, que tem trabalhado de forma constante e assertiva, para que a obra seja entregue à população.

Nós estamos constantemente analisando os relatórios de obras e acompanhando, in loco, o andamento dos trabalhos por todo o Maranhão. Hoje, estamos aqui nessa rodovia para poder identificar as necessidades e nos posicionar, a fim de solucionar as demandas, dando, assim, seguimento na construção da estrada. Apesar dos índices de chuva, aqui na região, continuarem altos, podendo trazer um retardo à obra, nosso compromisso segue firme para finalizar essa MA tão necessária para o Litoral Ocidental”, pontuou o secretário da Sinfra.

Serviços em andamento

A rodovia, por ser interligada pela Ponte sobre o Rio Pericumã, possui dois lotes de trabalho, um do lado de Central, com 15 km de extensão e outro, no sentido de Bequimão, com 23 km de percurso. Em ambos os lados, os serviços se dividem entre a execução de bueiros, compactação de subleito, terraplenagem e imprimação do asfalto.

No primeiro lote, interligando a cabeceira da ponte à cidade de Central, os viajantes que utilizam a rodovia já conseguem verificar a pavimentação chegando, pois, já foram aplicados mais de dois quilômetros de asfalto. Em Bequimão, já foram imprimados, também, mais de um quilômetro de asfalto.

No trecho que corresponde a cidade de Central até o leito da ponte, estão em andamento, ainda, a execução de 2 bueiros celulares, 700 m de estrutura de base, 2 km de terraplenagem correspondente a cabeceira da ponte e mais 700 m de compactação do subleito.

Já no segundo lote, que compreende 23 km, ligando o acesso de Bequimão à ponte, está em andamento o tratamento de 500 m de base, cerca de 300 m de compactação de subleito, terraplenagem e 1,2 km de imprimação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.